22 de fevereiro de 2011

Tudo vira bosta

Estou quase explodindo de raiva. Há algum tempo adotei o hábito de não compartilhar decepções com a minha família, pois a primeira reação é esfregar na cara. Depois de uma semana o assunto continua a tona e o costume prossegue. Recentemente, comprei uma poltrona-cama inflável pela internet. Chegou há duas semanas e estava usando-a diariamente. Um produto prático e confortável.

Estava tudo uma maravilha até que descobri um furo no assento. Usei o adesivo reserva que vinha na caixa, não resolveu. Usei cola de todos os tipos. Nada. Por fim, resolvi contatar o cara que me vendeu pelo Mercado Livre. Eu teria que pagar o frete ida e volta, e se o defeito não fosse de fabricação (para ele com certeza não ia ser) devolver-me-ia o mesmo produto furado. Obviamente eu deixei pra lá. E já deu pra imaginar o que isso causou na minha família, né?

Hoje minha querida mãe teve um ataque de risos esfregando o fato na minha cara. Insinuando que eu fiz uma compra idiota. Que era óbvio que algo inflável nunca iria dar certo. Sabe, se fosse ao contrario, iria fazer de tudo para que eu ajudasse a resolver o problema. Estive pensando nisso a tarde toda. Todo mundo faz e fala besteira. Mas é incrível o quanto as pessoas que a gente ama são sempre as que mais nos tiram do sério ou que nos decepcionam.

Há um tempo me desentendi com meu melhor amigo. Distanciei-me. E no fim, como boa manteiga que sou, fui reaver a nossa amizade. Sabe o que eu ouvi? “Você sempre me viu como melhor amigo, mas eu nunca te vi como amigo”. Nunca mais falei com ele. E sinceramente depois disso não quero. E ao pensar em tudo isso, ouvi uma música da sábia Rita Lee que diz exatamente a realidade: Tudo, absolutamente tudo, vira bosta. Deixo-lhes a música e sua letra. Espero que gostem.


TUDO VIRA BOSTA - RITA LEE
O ovo frito, o caviar e o cozido
A buchada e o cabrito
O cinzento e o colorido
A ditadura e o oprimido
O prometido e não cumprido
E o programa do partido
Tudo vira bosta...
O vinho branco, a cachaça, o chope escuro
O herói e o dedo-duro
O grafite lá no muro
Seu cartão e seu seguro
Quem cobrou ou pagou juro
Meu passado e meu futuro
Tudo vira bosta...
(Refrão)
Um dia depois
Não me vire as costas
Salvemos nós dois
Tudo vira bosta...
Filé 'minhão', 'champinhão', 'Don Perrinhão'
Salsichão, arroz, feijão
Mulçumano e cristão
A Mercedes e o Fuscão
A patroa do patrão
Meu salário e meu tesão
Tudo vira bosta...
O pão-de-ló, brevidade da vovó
O fondue, o mocotó
Pavaroti, Xororó
Minha Eguinha Pocotó
Ninguém vai escapar do pó
Sua boca e seu loló
Tudo vira bosta...
(Refrão 2x)
Um dia depois
Não me vire as costas
Salvemos nós dois
Tudo vira bosta...
A rabada, o tutu, o frango assado
O jiló e o quiabo
Prostituta e deputado
A virtude e o pecado
Esse governo e o passado
Vai você que eu 'tô cansado'
Tudo vira bosta...
(Refrão 2x)
Um dia depois
Não me vire as costas
Salvemos nós dois
Tudo vira bosta...
Tudo vira bosta...(5x)

7 comentários:

  1. É REALMENTE TRISTE, MAS AS PESSOAS Q CONSIDERAMOS MAIS PROXIMAS SAO AS Q MAIS NOS DECEPCIONAM

    ResponderExcluir
  2. Nossa, muito obrigada pelo post! Você leu meus pensamentos...

    Abraço,

    Ingrid

    ResponderExcluir
  3. Moacir Franco é co-autor dessa música!

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO!